Quem sou eu

Minha foto
Sociólogo pela Universidade de Haifa, especialize-me em abrir caminhos dentro do conhecimento judaico e melhorar a comunicação entre judeus e não judeus. Este é um caminho aberto para se comunicar com os judeus de Israel, EUA, Canadá, Europa ou aqueles que vivem em países da América Latina, mas não falam Português (no Brasil) ou espanhol (todos os outros países, além das Guianas)

A Visão Judaica de Satanás

É muito importante entender a diferença entre o entendimento judaico de Satanás e o entendimento cristão de Satanás.

Anjos podem ser bons ou não, mas sempre sob a batuta de D-us.

Em primeiro lugar, ao fazer uma rápida busca das bíblias hebraicas e cristãs, encontramos uma notável diferença. Na Bíblia judaica (Tanakh), encontramos três referências separadas a Satanás (o livro de Jó é considerado uma referência porque é uma história contínua). Entretanto, no Novo Testamento, um livro 1/3 do tamanho da Bíblia hebraica, encontramos 35 referências a Satanás. Se acrescentarmos a palavra "demônio" à pesquisa, obteremos mais 32 referências no Novo Testamento.

No total, uma pesquisa usando diferentes eufemismos para Satanás nos deixa com mais de cem referências. Então, a primeira coisa que precisamos entender é que no Judaísmo, HaSatan não é um foco principal de nossa relação com HaShem (Gd). Visto que o cristianismo parece quase preocupado com ele.

Isso se aplica apenas a passagens que se referem a Satanás como um nome próprio - o ser angélico. A palavra Satanás é realmente usada muitas vezes no Tanakh, e significa um adversário, um obstáculo ou um obstáculo.

Além da pre-ocupação de cisalhamento com Satanás, encontramos outra diferença muito importante e fundamental entre a compreensão judaica de Satanás ea compreensão cristã dele.

No Cristianismo, Satanás é um inimigo de D'us, uma força oposta, e algo muito ruim. No Cristianismo, Satanás tem um nível de poder que é considerado quase igual ao de D'us. Na Bíblia cristã (2 Coríntios 4: 3-4), Satanás é chamado o deus deste mundo. No entanto, no judaísmo, Satanás é um agente de D'us, criado por D'us para um propósito específico, e algo muito bom. Satanás é simplesmente um agente de D'us, assim como todos os outros anjos são simplesmente agentes de D'us. É por isso que freqüentemente vemos passagens onde o autor parece interagir com D'us e um anjo (levando ao conceito cristão, muitas vezes errôneo, de uma cristofonia).

Se olharmos para Isaías 45: 7, vemos que Hashem é o criador de tudo, como diz o texto, "trazendo luz e criando trevas, faço a paz e crio o mal, eu sou D'us que faz todas essas coisas. "Na Bíblia judaica, tudo está sob a jurisdição de D'us e sob Seu poder - todas as forças, mesmo as forças do mal. Tudo vem de D'us, Ele criou tudo, o bem e o mal. Sendo assim, Satanás não é um rival de D'us, ele é um mensageiro de D'us e incapaz de fazer qualquer coisa fora da vontade de D'us.

Em contraste com a literatura cristã, onde Satanás é entendido como uma força maligna, o inimigo de D'us, na literatura judaica, ele é visto como uma bênção para o povo judeu. Por quê? Vamos considerar por um momento o que Satanás quer dizer.

Como mencionado anteriormente, a palavra não significa apenas um adversário, mas uma pedra de tropeço ou um obstáculo. O que exatamente é um obstáculo? É algo que é posto em nosso caminho que nos obriga a superá-lo. Obstáculos nesta vida nos dão oportunidades para esticar nossos músculos e crescer.

Vamos dar uma olhada no que o judaísmo tem a dizer sobre Satanás.

No relato da criação do Gênesis, nos é dito que D'us viu que cada dia era bom, mas no último dia diz que D'us viu que tudo era MUITO bom. O Talmud ensina que isso se refere à inclinação do Mal, que ele iguala com o Satã. Por que isso é bom? É a inclinação do Mal que fornece as nossas paixões e desejos, é a inclinação do mal que é responsável não só por todo o mal que transpira neste mundo, mas também por todo o bem. Pois, se não tivéssemos paixões, apetites e desejos, também não teríamos motivação e faríamos muito pouco, bom ou mau nesta vida.

Se você olhar para o uso de Satanás na Bíblia hebraica, você acha que, como conceito, é muito mais sobre uma experiência do que uma pessoa, uma experiência em que D'us colocou um obstáculo na nossa frente. Este é Satanás, este é um adversário. Então por que isso é uma coisa boa? Porque se nós tivéssemos de atravessar a vida sem nunca experimentar esses obstáculos ou adversários, obstáculos na vida, não haveria potencial para a virtude no mundo. Pois, se nunca fomos tentados a fazer as coisas que não devemos fazer, então não fazê-las não teria nenhum valor para nós. Somente ao enfrentar o desejo de fazer o que é errado e superar isso, crescemos como pessoas espirituais.

Essa inclinação maligna, ou Satanás, provê fricção. Você pode imaginar um mundo sem fricção, sem resistência? Pense em um carro, como ele vai? É a fricção entre os pneus e a estrada que permitem que o carro para progredir, para ir em frente. Agora, para os pneus a fricção não é necessariamente uma coisa positiva, o atrito destrói lentamente o pneu, e ainda sem o atrito, o pneu é inútil.
Se não há resistência a superar, não temos ambiente para crescimento.

Quando nos deparamos com um obstáculo, ou caímos nele e caímos (definitivamente uma experiência negativa - a inclinação do mal) ou você tem que escalar sobre ele, e ao sobrepor esses obstáculos na vida, desenvolvemos nossos músculos espirituais, então para falar. Se nós nunca exercitarmos nossos músculos, nós atrofiamos. Assim, essas forças no mundo, essas experiências, não importa quão difícil ou desconfortável, são positivas e importantes.

Para reiterar, na Bíblia judaica, tudo foi criado por D'us, tanto o bem quanto o mal, e tudo está sob o controle de D'us. Somente uma força, e não duas, enquanto que, no Cristianismo, Satanás não está sob o controle de D'us, mas sim, uma força concorrente contra D'us. A teologia cristã torna Satanás tão poderoso que lhe é dado o título de "o deus deste mundo".

Isto estabelece uma situação na teologia cristã segundo a qual Jesus deve vir e realizar alguma coisa para nos ajudar a sair da difícil situação - para vencer Satanás, já que ele está em guerra não só com D'us, mas conosco. No entanto, o Judaísmo ensina que o que está a ser superado não é Satanás, mas o "satanás" em nosso caminho, é o obstáculo que foi colocado para nosso crescimento.

Assim, para reiterar, no Judaísmo, Satanás é um agente de D'us, que nos dá oportunidades para crescer, para responder às nossas paixões e desejos, produzindo coisas de valor neste mundo e tornando-se pessoas espirituais mais fortes.

Penina Taylor

TEXTO COMPLETO EM INGLÊS
Compartilhar no Google+

Postar um comentário

Seus comentários são muito bem vindos.

 
Copyright © 2011. O que é Judaísmo? - All Rights Reserved
Templates: Mais Template
{ overflow-x: hidden; }