Quem sou eu

Minha foto
Sociólogo pela Universidade de Haifa, especialize-me em abrir caminhos dentro do conhecimento judaico e melhorar a comunicação entre judeus e não judeus. Este é um caminho aberto para se comunicar com os judeus de Israel, EUA, Canadá, Europa ou aqueles que vivem em países da América Latina, mas não falam Português (no Brasil) ou espanhol (todos os outros países, além das Guianas)

Vida de Kélev - o cão no Judaísmo



  
Touro, meu cachorro na infância.
 Kélev é a palavra para "cão" em Hebraico.

Os egípcios usavam cães para ladrar caso os escravos judeus tentassem fugir do Faraó. Lembra um pouco os cachorros nos campos de concentração.
Mas o Judaísmo tem uma atitude positiva com relação aos cães.
Quando do Êxodo de Israel da servitude no Egito, os cães milagrosamente pararam de ladrar, para não alertar os egípcios e não assustar os judeus.
 Por este motivo, a Torá dá um presente como reconhecimento aos cães:  a eles deve ser dada ou atirada toda carne Taref, ou seja, aquele animal que não foi morto pelo rito casher ou foi morto pelo rito casher mas de forma errada.
Em Israel maltratar os animais é crime severo, assim como deixar o seu animal maltratar os outros. 
O Maharal de Praga, sábio cabalista do seculo 17 diz que a palavra Kélev, sendo composta das sílabas Ke [como] e Lev [coração] é prova que, além de ser um animal que é puro coração, ele em geral imita o coração do seu dono. 
O Talmud proíbe ter um cão se a pessoa não souber como cuidar, deixar passar fome, sede ou não oferecer cuidados médicos, assim como maltratar o animal. 
A mesma lei proíbe ter em casa um cão que possa morder as visitas mesmo que seja dócil para o seu dono. 

http://www.sefer.com.br/details/9021/sidur-falado




como manusear o livro de orações judaicos. 
Declamação em Hebraico e dicas em Português. 

"Sei fazer as rezas graças a edição do Sidur falado".

"O Sidur falado tem sido uma ferramenta de extrema importância para o meu aprendizado judaico"

"Gostaria ainda que fosse feito uma maior propaganda, pois muita gente não conhece o Sidur falado".

"Por último, gostaria de parabenizar também o Paulinho Rosenbaum pela dedicação
e o interesse de facilitar a aprendizagem da reza com com sua voz e pronuncia.

B' Ezrat Hashem.
Shalom,.Uildicler.

Pérolas de Yehoshiahu - Cabalá e Auto-ajuda


Pérolas de Yehoshiahu - esta obra resume de forma rápida e fácil de assimilar,  algo do universo da alma humana e como ela reage a diversas situações como as pressões do tempo e dos negócios.

No vídeo abaixo explicamos mais sobre este 
excelente livro assim como os locais de compra.






Afinal, porque às vezes fazemos o Bem e noutras fazemos o Mal?

Algo único difere os humanos dos animais - arbítrio.

Nosso coração tem dois compartimentos espirituais:

Do lado direito está o Iétser hatov - inclinação para o Bem
Do lado esquerdo está o Iétser hará - inclinação para o Mal.

Não por acaso o coração inclina-se para o lado esquerdo: é onde precisamos trabalhar melhor os nossos traços de caráter.

Os tefilin [filactérios] do braço também se direcionam para o lado esquerdo do coração.

Sem conexão alguma com a política, o lado direito espiritual é chamado de Bom e o lado esquerdo espiritual é chamado de Mal.

"A Mão Direita de D-us é poderosa" - diz o salmista. D-us só faz coisas boas.

"Sitra de Smola, o Lado Esquerdo" - é um dos nomes do Espírito do Mal.

O Iétser hatov, ou inclinação boa, é guiado pelo espírito, pelo etéreo, pela alma, que almeja o Bem,

Já o Iétser hará, ou inclinação má, é bombeado pelo sangue, pelos desejos carnais, pelo egoísmo.

Dependendo de quem estiver governando as nossas escolhas, faremos boas ou más ações.

Por este motivo precisamos estar constantemente treinando os nossos corações para o Bem.

E ao mesmo tempo não dar muita bola para as inquietudes do nosso querer tudo já e agora.

Vamos elucidar com uma canção: IÉTSER HARÁ EU TE COMO COM JABÁ




SEGULÁ [Fórmula] do Ben Ish Chai para expulsar forças do Mal

Neste artigo vamos tratar um pouco de Cabalá Prática, segundo o Ben Ish Chai.

[veja neste blog a sessão O Sábio de Bagdá para saber mais sobre o Ben Ish Chai]

AVISO IMPORTANTE: Cabalá não é magia, as coisas não acontecem por si só.. É preciso que a pessoa incremente seu estudo de Torá, seu cumprimento das Mitsvót e aumente os seus atos de bondade e de caridade. Do contrário seria como trabalhar com um computador fora da tomada.

Como saber se este é o nosso lugar e neste justo  momento?

Muitas vezes ficamos sem resposta, pois a saída de um local nem sempre significa uma subida.

O Ben Ish Chai diz que isto implica exatamente em rezar para que D-us nos mostre o caminho.

Algumas fórmulas espirituais, escritas por Sábios confiáveis como o Ben Ish Chai, podem ajudar.

ELIAHU HANAVI ZACHUR LETOV - O Profeta Elias de Abençoada Memória - é um poderoso atraente de forças positivas e repelente de forças negativas.

Seu valor numérico em letras hebraicas é 400, o mesmo número de homens que Esaú, irmão de Jacob, enviou para combate-lo. Portanto, combatemos o Mal com o Bem.

Agora vem a parte difícil:

O Ben Ish Chai aconselha repetir 130 vezes ELIAHU HANAVI ZACHUR LETOV após a saída do Shabat, para atrair mais sustento e expulsar as forças do mal.

130 é dez vezes ECHAD [Um], cujo valor numérico é 13.
Echad é um dos modos como D-us atua neste mundo.

E a parte fácil: Comer um doce ou fruto que a pessoa não havia comido durante o Shabat, repele as forças negativas que assolam a alma no momento exato da morte.

Uma boa vida para você




Acompanhe nosso grupo do Ben Ish Chai no Facebook:

Seis constantes lembretes de D-us



Esta tradição judaica instrui lembrarmos diariamente de D-us, de seis modos:


  1. Saiba que só existe um D-us, um Criador, o Ser primário que nos concedeu a vida.
  2. Não existe poder algum independente de D-us. Toda força é uma expressão da vontade Divina.
  3. D-us é Uno. D-us compreende toda a existência. Tudo está em harmonia com a vontade Divina.
  4. Ame a D-us. Focar em D-us é energizante.
  5. Tema, Reverencie a D-us. Nossos destinos depende de nos focarmos em D-us.
  6. Não seja refém das paixões do seu coração nem vá atrás do que desejam teus olhos. Siga a orientação da sua mente.



Fonte: Sêfer Hachinuch

Judaísmo - descrição vinda de fontes não judaicas

    O Judaísmo é uma religião que tem como protagonista não um indivíduo mas um povo, o povo hebraico, o povo eleito, escolhido por Deus para iluminar todas as gentes. É uma religião formada por alguns milhões de pessoas (cerca de 18 milhões) que continuam na diáspora (ou exílio = espalhados pelo mundo sem pátria) à espera da vinda do Salvador, que estabelecerá no mundo o Reino de Deus. A maior parte está em Israel,constituído em 1948. seguida pelos nos Estados Unidos. 
    Jesus e os seus familiares pertenciam ao povo judeu. Também os seus Apóstolos. Sendo tão grande o património espiritual comum aos Cristãos e aos Judeus, deve existir um maior conhecimento entre ambos e uma  estima mútua.

História

    A história do Judaísmo começa com o chamado de Abraão, que por volta de 1850 a.C. deixou a Síria para se estabelecer na terra de Canaã, actual Israel. Com a morte de Abraão, Jacob e os seus 12 filhos emigraram para o Egipto à procura de melhores condições de vida e de pastagens para os animais. Com o passar do tempo, foram tratados como escravos e obrigados a construir cidades e silos para armazenagem do cereal.
    A escravidão durou até 1300 ou 1200 a.C. quando, guiado por Moisés, o povo judeu conseguiu libertar-se e, passando através do Mar Vermelho, regressaram novamente a Canaã.
    A história do povo Judeu é também uma história de diásporas, isto é, de exílios.
    Entre 500 a.C. e 100 d.C., sucederam-se, em Israel, as dominações estrangeiras: primeiro os babilónicos, depois os persas, depois Alexandre Magno, os remos gregos, e por fim os Romanos. Nos séculos seguintes, a diáspora continuou cada vez mais intensa. Os livros da história recordam a expulsão dos Judeus de Espanha, em 1494 e o extermínio pelos nazis durante a Segunda Guerra Mundial.

Os símbolos do Judaísmo

    - O Muro das Lamentações – em Jerusalém, é o que resta do templo de Herodes, destruído pelos romanos no ano 70 d.C. Aqui os hebreus vêm rezar. É o único lugar sagrado de todo o Judaísmo.
    - O Candelabro dos sete braços – A "Menorah" é o símbolo do Judaísmo. O 7 é para os Judeus o número da plenitude, da perfeição.
    - A Sinagoga – É o lugar de oração, de estudo e de reunião.
    - O Rabino – Os hebreus não têm sacerdotes. O Rabino é só um mestre, um guia espiritual para os fiéis na interpretação da Bíblia.
    - O Sábado – É o dia semanal festivo dos judeus. Começa ao pôr-do-sol de Sexta-feira e vai até ao pôr-do-sol de Sábado. É um dia dedicado à oração e ao descanso.

Etapas importantes da vida de um Judeu

    - A Circuncisão – Aos oito dias depois do nascimento, todo o rapaz hebreu é circuncisado e nesta altura é-lhe dado o nome. A circuncisão simboliza a Aliança entre o Criador e Abraão.
    - Aos treze anos, o rapaz hebreu torna-se membro da comunidade e, por isso, está sujeito aos direitos e aos deveres que a Bíblia lhe indica.

Vida Religiosa


   - O estudo da Torá é o principal dos deveres de um judeu. No livro da Lei estão contidas as 613 obrigações que todo o hebreu piedoso deve observar.
    - Quando reza, o hebreu tem a cabeça coberta com o «Talith», um xaile com franjas brancas e pretas, e tem presos à testa e no braço direito as «filactérias», pequenas bolsas que contem orações da Torá escritos em pergaminho.


Livro Sagrado

    - O livro sagrado é a Bíblia. Corresponde ao Antigo Testamento dos cristãos, com poucas diferenças. A Torá contém  os cinco primeiros livros atribuídos a Moisés (Livro da Lei).

Credo

    - «Escuta, Israel, o Eterno é Um só»
    Esta oração resume a fé hebraica: acredita na existência de um só Deus. O Judaísmo é uma religião fortemente monoteísta.
    - A visão que o Judaísmo tem da vida é optimista, porque o Deus criou o homem livre e responsável. O cumprimento sem reservas das suas obrigações duras e rigorosas da Torá exprime a submissão humana a Deus e simboliza o respeito pela Aliança.
    - Os hebreus esperam a vinda do Messias. Virá um tempo – «os dias do Messias» – em que reinarão a paz, a justiça e a fraternidade. Terminarão todas as formas de idolatria e o Eterno será Um e o Seu Nome será Um».

As Festas (as festas principais)

    - O dia do perdão – «Yom Kippur» – festa de jejum e de expiação. Cada judeu deve estender ao seu inimigo a mão da reconciliação, esquecendo as ofensas e pedindo desculpas.
    - A festa da Páscoa – «Pessah» – recorda a saída do povo hebraico do Egipto, guiado por Moisés. Prolonga-se por oito dias.
    - A festa do Pentecostes – «Shavuot» – recorda a Dom da Torá (Dez Mandamentos), dada por Deus a Moisés, no monte Sinai.

[Nota do blog: - Rosh Hashaná - íncio do ano judaico - e Sucot - Tabernáculos. Purim e Chanucá]

Fonte: http://religioes.home.sapo.pt/judaismo.htm



Que fruto Eva ofereceu a Adão? Dica: não foi uma maçã.


A TORÁ PODE SER COMPREENDIDA EM 4 NÍVEIS:

  • PeSHÁT - literalmente aquilo que está escrito no texto.
  • Rémez - Aquilo que pode ser entendido ligando um texto a outro.
  • Drash - A hermenêutica judaica, alusões ao significado do texto.
  • Sod - A parte oculta do texto, dantes ensinadas em segredo, hoje conhecida como Cabalá.




Peshat - o fruto proibido era um FIGO: o versículo diz que "perceberam que estavam nus e confeccionaram cinturões a partir de folhas de figueira". Como estavam sob uma figueira, de acordo ao texto explícito, o fruto proibido era o figo.







Rémez - o fruto proibido era o TRIGO, pois está escrito "com o suor da sua fronte comerás o pão": referência ao Poder Divino de retribuir Medida por Medida ao que fazemos de bom ou não. Eva ofereceu o fruto, mas Adão poderia ter recusado. Por esse motivo, aquilo que lhe seria servido durante o Shabat caso esperasse mais um pouco, custou-lhe uma vida totalmente dedicada à labor, até os dias de hoje.





Drásh - o fruto proibido era um ETROG, espécie de critronela utilizada na festa judaica de Súcot. Diz-se do Etrog que a fruta tem o mesmo gosto que o tronco da árvore, alusão ao que diz o texto da Torá: 'D-us fez a árvore de frutos que faz frutos", ou seja, nas árvores do Paraíso o fruto tinha o gosto idêntico ao do tronco da árvore. Isto acabou quando Adão e Eva comeram do fruto proibido, permanecendo apenas o Etrog, uma das possibilidades dos frutos proibidos, como lembrança permanente do erro que cometeram.




Sod - o fruto era a UVA. De acordo com os ensinamentos da Cabalá, onde entra vinho saem segredos. A própria palavra vinho em hebraico: Yain -  יין, vale 70, o mesmo valor numérico da palavra Sod [Segredo]. Mas qual é o segredo aqui? O segredo vem da mescla entre o Bem e o Mal ingeridos por Adão e Eva quando comeram o fruto proibido. Contar os próprios segredos, os segredos de outrem ou tentar sondar segredos onde não se quer que eles sejam descobertos, é em si um Mal. Além disso, a uva pode ser transformada em vinho, que, caso ingerido em quantidade elevada, pode entorpecer a mente do Homem e fazer com que ele diga ou faça coisas das quais se arrependeria depois. O Ticún [conserto] desta situação dentro do Judaísmo reside na obrigação do homem em santificar o Shabat e demais festas judaicas, assim como o casamento, com uma taça de vinho. Mais uma vez, medida por medida.


Como podemos ver, são muitas as opiniões sobre qual o fruto que Eva deu a Adão, mas algo une todos estes conceitos: aquilo que ingerimos passa a ser de imediato parte não somente do nosso corpo mas também da nossa alma e psique.

E foi isso que D-us tentou impedir.

Razões pelas quais PURIM não é o Carnaval dos Judeus.

Purim é uma festa bíblica, o oposto total do carnaval profano.

Purim tem quatro mandamentos religiosos:

  1. A Leitura da Meguilá [o Pergaminho] de Esther, um dos 24 livros do Tanach [Bíblia Judaica].
  2. Dar um presente comestível e um bebestível a outra pessoa, como forma de altruísmo.
  3. Fazer caridade com os necessitados da comunidade, para promover a união entre os judeus
  4. Fazer um banquete de preferência com carne e vinho, para celebrar a libertação dos judeus da "Solução Fina"l imposta por Haman, literalmente o Hitler de sua época, que felizmente não aconteceu. Durante este banquete podemos cantar e beber, não com o objetivo de cair na folia, mas de regozijar-se com a Divina  Providência e de como D-us pode agir também de forma oculta, escondido dos olhares humanos, a despeito do fim de Haman, antissemita mor de sua época. No carnaval a beberagem impera, com objetivo oposto: dar vazão aos desejos carnais.
Fantasia: não há mandamento algum de fantasiar-se em Purim nem é este um dos objetivos da festa. A fantasia surgiu como um modo de mostrar a ocultação do Eu verdadeiro, o Eu Divino, da máscara de um tirano como Haman que só pensavam em bajular o rei [Achashverosh - Assuero[ e a Rainha Esther, tão só para lograr seus objetivos ignóbeis e obscuros. 



A fantasia lembra também e de forma irônica, os judeus persas, que em sua maioria se assimilaram à cultura externa, escondendo o seu eu judaico. Como sempre, a máscara caiu e não adiantou nada querer se parecer aos não judeus, pois, assim como na Alemanha, o decreto de destruição imcluia ambos,judeus conscientes e judeus assimilados. Ninguém em Purim se fantasia de modo a mostrar as partes íntimas do corpo ou de escandalizar o público. 

Este ano Tropicasher promove o HAMANAÇO na Sinagoga,batendo panela toda vez que o Chazan pronuncia o nome de Haman, como é de costume quando lemos o Livro de Esther.

Então aí vai um Samba de Enredo Tropicasher, contando a origem de Purm:






IN ENGLISH! The Snake, Purim and Lula - what is the connection?

BERESHIT (Genesis) 14: 7 tells the story of the Four kings who fought against five kings in Abraham times..

The site of the war is described as "Amalek Fields".

Amalek is one of the descendants of Esau, who swore to kill his brother Jacob.

(Esau wanted the blessing of his father Isaac without effort, unlike Jacob, father of the nation of Israel, studious and productive man. It reminds us anti-Semitism oftern used this excuse to plunder the property of Jews who worked for it , both Inquisition,Nazism and alike).

Yet, how the Torah could call it "fields of Amalek", if he himself was born only 120 years later? *

The reason is the Snake, the one on Paradise, who incited Eve and Adam to eat the fruit thus bringing death into the world.

What was the problem of Snake? It also had everything in Paradise !!

That was not enough. The envy of the perfect life of Adam and Eve as a couple had caused that hatred!

Similarly, anti-Semitism and anti-Zionism of today, are the result of the success of the Jews and of Israel, even facing the greatest difficulties in life and taking many beatings from mankind.

What other reason could explain the UN tantrum against Israel, condemning him all the time?

   


Amalek gave rise to the Romans, who destroyed the Second Temple in Jerusalem for no reason. 
The Jews lef with no leadership or hope - so why destroy the Temple?

Centuries later the Inquisition invests all its fury against the peaceful Jews of Iberia.

The story repeats itself indefinitely in Europe to get to Nazism, most "succesfull" work of Amalek in recent times.

Interestingly, in the trial of Nazi leaders in Nuremberg, one of them, Julius Sträucher (imach shemo - dammit), said as he was being taken to the gallows: "Purimfest!" - the Purim party repeats itself!

The Book of Esther we read on Purim reports that Haman, Hitler of then Persia, wanted to exterminate the Jews solely because Mordechai, the leader of that generation did not want to bow to him. Once again, the history of Snake repeats itself. 
Jealousy kills...

But G-d operates a miracle and everything is transformed, turning to the contrary, Haman and his sons are condemned, the Jewish people were saved and the righteous Mordechai becomes prime minister of Persia.

Today, Brazil is going through a similar moment: Lula is Haman, envious, spiteful ,. inflates the hatred of the working class and his politicians against people who worked hard in life, studied and engaged in their jobs and businesses, dehumanizing-s and calling everyone "drumsticks", the same device used by the Nazis, who called Jews "inferior people". This is HATRED mixed to envy.

Lula rests on his fortune without working, while millions of Brazilians barely have to eat, the same Brazilians he uses to play against the majoroty of Brazil´s people.

This is the very spirit of Haman.

This tragedy will end only when Lula, songs and Dilma will be convicted! 

 - Hey, I am not Brazilian, what do I have to do with this?

Brazil is a continental country, like Russia, China and alike. If Brazil crashes, chances are the world fall into distress.

Sergio Moro, Brazil´s most important judge, is today´s "Mordechai".

The "Queen Esther" is the Justice. Everywhere.

Today, on Purim, we ask G-d here in Brazil that all Lula's plot and his minions go awry, as it did to Haman and his sons, freeing the Brazilian people and bringing light and prosperity to this land!

The same we desire to the Land of Israel. which is still UN and BDS´s victim.
It will end once we get our long awaited Machiach!


* Commentary of Breslov to the Esther Megillah, Rabbi Ozer Bergman, page 120.

Visit our Blog;

A Cobra, Purim e Lula - qual é a ligação?


BERESHIT (Gênesis) 14:7 conta a história dos Quatro reis que guerrearam contra  cinco reis nos tempos Abrahão. .

O local da guerra é descrito como "Campos de Amalek".

Amalek é um dos descendentes de Esaú, que jurou matar seu irmão Jacob.

(Esaú queria as bênçãos de seu pai Isaac sem se esforçar, ao contrário de Jacob, pai da nação de Israel, homem estudioso e produtivo. Lembra bem como o antissemitismo não raro usou essa desculpa para espoliar os bens dos judeus, que trabalharam para isso, sendo na Inquisição ou durante o Nazismo).

Mas como a Torá pode chamar aqueles campos de Amalek, se o próprio nasceria somente 120 anos depois?*

O motivo está na Cobra, aquela do Paraíso, que incitou Eva e Adão a comerem do fruto trazendo assim, morte ao mundo.

Qual era o problema da Cobra? Ela também tinha de tudo no Paraíso!!

Isso não lhe bastava. A inveja da vida perfeita que o casal Adão e Eva tinha, lhe causava ódio.

De modo igual, o antissemitismo e o anti-sionismo de hoje, são frutos do sucesso dos judeus e de Israel, mesmo enfrentando as maiores dificuldades da vida e levando tantas sovas da humanidade.

Que outro motivo poderia explicar a birra da ONU contra Israel, condenando-o a todo momento?



Amalek deu origem aos romanos, que destruíram o Segundo Templo em Jerusalém sem motivo algum. Os judeus já não tinha liderança nem esperança - então porque destruir o Templo?

Séculos depois a Inquisição investe toda a sua fúria contra os pacíficos judeus da Península Ibérica.

A história se repete indefinidamente na Europa até chegar ao Nazismo, "obra" maior de Amalek em tempos recentes.

Interessante notar que, no julgamento dos chefes nazistas em Nuremberg, um deles, Julius Straucher (imach shemó - maldito seja), exclamou ao ser levado para o cadafalso:
"Purimfest" - a festa de Purim se repete!

O Livro de Esther que lemos em Purim relata que Haman, o Hitler da Pérsia de então, queria exterminar os judeus tão somente porque Mordechai, o líder daquela geração, não queria se curvar a ele. Uma vez mais a história da Cobra se repete. A inveja mata mesmo.

Mas D-us opera um milagre e tudo se transforma, virando ao contrário: Haman e seus filhos são condenados, o povo judeu se salva e o íntegro Mordechai torna-se Primeiro Ministro da Pérsia.

O Brasil de hoje passa por um momento semelhante: Lula é Haman, invejoso, rancoroso,. insufla o ódio às pessoas que trabalharam arduamente na vida, estudaram e se empenharam nos seus empregos e negócios, desumanizando-s e chamando a todos de "coxinhas", o mesmo expediente usado pelos nazistas, que chamavam os judeus de "gente inferior". Isto é ÓDIO mesclado a inveja.

Lula repousa em sua fortuna sem trabalhar, enquanto milhões de brasileiros mal tem para comer, os mesmos brasileiros que usa para jogar uma parcela do povo contra a outra.

É o espírito de Haman.

Isto só terminará quando Lula, os filhos, Dilma etc forem condenados.

Sérgio Moro é o "Mordechai" de hoje.

A "Rainha Esther" é a Justiça.

Hoje, em Purim, vamos pedir a D-us que toda a trama de Lula e seus asseclas vá por água abaixo, assim como fez com Haman e seus filhos, libertando o povo brasileiro e trazendo luz e prosperidade a esta terra!

O mesmo desejamos à Terra de Israel. que ainda é vítima da ONU e dos BDS da vida, os Hamans de hoje. Mas isso também vai acabar assim que chegar nosso tão esperado Mashiach!

Leia este artigo em Inglês: 


* Comentário Breslav da Meguilá de Esther, Rav Ozer Bergman, página 120.

O que o Judaísmo diz sobre o Filme ZOOTOPIA?

Os cartuns de hoje criaram uma fórmula perfeita para atrair pais e filmes aos cinemas:

Um mesmo filme traz duas mensagens:uma para os adultos e outra para as crianças.

Se você olhar o filme Zootopia com olhar de adulto, vai perceber logo de cara que somente os mamíferos são representados sob forma humanóide, com apenas uma exceção da qual falaremos mais adiante. Além disso, peixes e pássaros praticamente não existem no filme, somente mamíferos.



No filme, todos os mamíferos se distinguem em duas categorias: predadores e presas.
Só não explicaram em que grupo de enquadram os elefantes, que não são predadores nem presas.

A trama começa com tratali tralalá, não queremos estragar as surpresas, mas de repente, não mais que de repente, alguns mamíferos, antes humanóides, começam a voltar à sua forma anterior, rosnando e atacando a tudo e a todos, gerando grande pânico na cidade, a tal Zootopia [Nova Iorque para quem não conseguir perceber].

Então o que acontece: um predador e uma presa, ambos em sua forma humanóide, civilizada, começam a procurar o motivo disto estar acontecendo,  E descobrem.

Á partir daí o filme tem uma virada e acabam descobrindo o que é que faz um animal civilizado regredir ao ponto de voltar a ser um animal irracional e ainda por cima um predador.

Segundo as fontes judaicas, o Homem traz dentro de si três tipos de espíritos:


  • Néfesh - a alma animal, responsável pelas atividades do corpo
  • Ruach - o espírito humano, sede dos sentimentos e emoções
  • Neshamá - a alma intelectual responsável pela lógica 


Quando a alma animal reina, dominando o sentimento e o intelecto, o ser humano pode vir a tornar-se um animal como fizeram os nazistas e como acontece hoje com o islamismo terrorista.

Mas nós sabemos que dentro de cada ser humano, de todos os seres humanos - reside uma alma emocional que pode ser sensibilizada e uma alma intelectual, à qual se pode demonstrar a lógica das coisas,inclusive daquilo que é moral ou imoral, legal ou ilegal.

Um terrorista não sente o que está fazendo á sua vítima e sua lógica tortuosa lhe diz que é um representante de Alá, quando no mínimo é um assassino impurificando o próprio espírito de tal maneira que ninguém sabe como ele será visto quando chegar aos Mundos Superiores e o que acontecerá de verdade com aquela alma. Setenta e duas virgens aposto com você que necas.

Assim, continua valendo o almejo judaico pela vinda de Mashiach, o Messias, época na qual seremos uma verdadeira Humanotopia, onde Nefesh, Ruach e Neshamá convivem harmoniosamente e onde não há mais lugares nem para predadores e nem para presas, como finaliza o filme.

Ah sim... o único mamífero que não é representado de forma humanóide no filme é o macaco.



Existe Karma no Judaísmo? - Rabino Ozer Bergman, de Jerusalém

Este idéia é bem anterior à dos povos do oriente, que a receberam de Abrahão, nosso Patriarca.

Na verdade, eles meio que retrabalharam o tema do Tikun Hanefesh [reparação da alma], numa idéia judaica que surgiu bem antes.

Diz o Talmud: "Assim disse Rav Ami:- Não há morte sem pecado, sem sofrimento, sem transgressão". [Talmud, Tratado Shabat 55a ].

Em outras palavras, enquanto uma alma reencarnar, ela terá algum pecado, algum sofrimento causado a outrem ou alguma transgressão para consertar.

Este é apenas um dos aspectos do Tikun ["Karma"] que a pessoa traz a esta vida de uma vida passada e que precisa ser corrigido para que ela não precise mais reencarnar.

A cura para o Tikun [Karma] está na Teshuvá.

No Judaísmo o que prima é a ação. Você não pode simplesmente esperar que alguém ou alguma força externa dissolva o seu Karma sem que você mude o modo como faz as coisas neste mundo.

Há também o Mazal [sorte, ou "estrela"] da pessoa que faz com que tudo de bom caia no caminho dela e não raro o contrário também. É não há "cura" para o próprio Mazal.


A única coisa que pode mudar isso é o estudo da Torá e alta frequência de boas ações.

Estudar Torá é conectar-se a D-us. Fazer caridade é conectar-se a D-us fazendo o bem a outrem.

Quantidade é bom, mas se for  constante, regular e todos os dias,
o Estudo de Torá é mais importante !! Isso é o que dissolve o Karma.

Lembre-se que nada acontece sem D-us. A própria palavra Karma, se escrita em Hebraico vira - קרמה - que também pode ser escrita trocando as letras para - רק מה - 'Rak meHahem" - ou seja, Somente de D-us! Nada nem ninguém pode mexer no Karma de uma pessoa sem a ajuda Dele.

Umot Haolam [os povos do mundo] têm  Chokmah (ciência), mas podem não ter Emuná (fé) do modo que os judeus a tem. A fé judaica tem como vértice a Revelação da Torá por D-us a Moisés!!

Emuná significa saber que há um Criador, e que ele Atua em todas as esferas deste mundo.

Com nossa própria Torá e tefilá e fazendo chessed e tzedakah, talvez possamos "fazer um acordo" com Hashem que funcione por meio das nossas boas ações, quem sabe por internédio de algum Tsadik [homem justo].

Faça do Tsadik o seu "parceiro". Não posso garantir que isso vai ajudar, mas tem ajudado algumas pessoas que já tentaram.

Kol Tuv,

Ozer Bergman.

(TROPI) PURIM Samêach!!


Porque o Amor e o Ódio andam juntos?

Hoje vamos tratar de dois assuntos:
  • Iétser hatóv [inclinação para o Bem] 
  • Iétser hará [inclinação para o Mal]
A versão mais aceita no Judaísmo é que ambos se localizam dentro do nosso coração, o Bem do lado direito e o Mal do lado esquerdo. Nosso intelecto pode fazer o Bem dominar e nossos desejos podem fazer o Mal dominar. O coração é apenas um agente de ambos, intelecto e desejos carnais.

Por isso, não raro vemos que um par romântico apaixonado, após uma separação dolorosa, podem desenvolver de ódio, mútuos ou de apenas um dos lados.

Como isto pode ser possível se temos um só coração?

Tudo começa com a criação da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, que D-us plantou no Jardim do Eden, onde foram colocados o homem e a mulher, para viverem uma vida de plenitude em todos os sentidos: intelectual, emocional e carnal.

De inicio ambos tinham apenas o Iétser hatóv [inclinação para o Bem].

A possível existência do Mal estava fora deles: intelectual, emocional e fisicamente.

Para testá-los o Criador permite que a cobra aja como agente instigador [Bereshit - Gênesis 3:5].

Quando ela convence Eva a comer do fruto proibido, a convence que deste modo, conhecendo o Bem e o Mal, ela poderia dominar os dois e parecer-se cada vez mais com o Criador, ao invés de conhecer apenas o Bem e ficar numa posição inferior. Eva come do fruto e o dá a Adão, como o mesmo intuito.

O que acontece então?

Bem e Mal penetram JUNTOS dentro do intelecto, emoções e desejos físicos do homem e da mulher.



É por esse motivo que amor e ódio podem andar juntos, não somente no amor como em qualquer atividade de nossas vidas, onde nos encantamos de inicio,mas, ao vermos alguma dificuldade interna ou externa, podemos desenvolver um sentimento de ódio contra algo que antes nos atraía ao amor,

Quando vemos maldade no mundo, governos inteiros atuando contra seus cidadãos, empresários furtando o dinheiro público sem constrangimento, matança e ódio inclusive "em nome" de D-us, podemos ser tentados a encontrar culpados nos mundos Superiores.

Mas nos mundos Superiores só há perfeição. Lá eles não em Iétser hará, portanto não precisam serem testados, nem passar por julgamentos, condenações ou castigos, como ocorre aqui na Terra.

Se Adão e Eva não tivessem comido do fruto proibido, estaríamos provavelmente vivendo no mesmo mundo de hoje, com a mesma tecnologia e possibilidades, mas sem o fluxo do ódio misturando-se ao fluxo do amor dentro dos nossos corpos. Ou você acha um acaso que "Proibida" seja o nome de uma bebida? Em outras palavras, o amor do início seria o mesmo no meio e no fim ou até maior.

Isto não tornaria a vida enfadonha, pelo contrário, poderia aumentar ainda mais os desafios.

Mas as consequências seriam sempre positivas.

E é exatamente isto que esperamos com a vinda de Mashiach.

PRINCÍPIOS DA FÉ JUDAICA - CALÚNIA

LASHON HARÁ - CALÚNIA

No Shulchan Aruch, o código de Leis Judaico, temos leis para segurar a língua:
De acordo com a lei judaica, é proibido falar da vida dos outros, mesmo que seja para dizer a verdade.
Ë proibido também falar bem dos outros para pessoas que não gostam deles.
É proibido falar coisas que sejam indiretamente lashón hará como: 
"Poxa, como foi que ele comprou esse carrão?



É proibidissimo falar mentiras sobre os outros e espalhar fofocas por aí. Isto é mandamento da Torá.
É proibido se vingar dos outros, assim como deixar de ajudar alguém que nos negou ajuda.
Falar Lashon Hará do Estado de Israel é crime espiritual impagável e que causou ao povo judeu uma punição de vagar pelo deserto do Sinai durante quarenta anos seguidos por falarem mal de Erez Israel. Ein evdel.
A Torá ensina que, se ao invés de nos vingar de alguém nós aprimorarmos o nosso caráter, essa será nossa melhor vingança, pois a pessoa ficará envergonhada de um dia ter tomado proveito de uma pessoa honesta.
Terras da Galiléia - ISRAEL

A bem da verdade, a a melhor maneira de nos "vingarmos" dos outros, é, ao invés de falar 
Lashon Hará,  melhorarmos as nossas Midót (modos de conduta e comportamento)!

Tehilim [Salmo] para a pessoa rezar quando está doente

Mizmor Tehilim (Salmo) 20 em Hebraico anexo com transliteração e tradução:

Transliteração:
  1. Lamenatsêach mizmor ledavid.
  2. Iaanchá Ado-nai beiom tsara, iessaguevchá shem Elohê Iaacov.
  3. Yishlach ezrechá micódesh, umitsión yis’adêca.
  4. Yizcor col minchotêcha, veolatechá iedashene sêla.
  5. Yiten lecha chilvavêcha, vechol atsatechá iemalê.
  6. Neranena bishuatêcha, uvshem Elohênu nidgol, iemale Ado-nai col mish’alotêcha.
  7. Ata iadáti ki hoshía Ado-nai meshichó iaanêhu mishemê codsho, bigvurot iêsha iemino.
  8. Ele varéchev veele vassussim, vaanáchnu beshem Ado-nai Elohênu nazkir.
  9. Hêma careu venafálu, vaanáchnu camnu vanit’odad.
  10. Ado-nai hoshía, hamélech iaanênu veiom cor’ênu


O que a Torá diz do Judiciário Brasileiro e da Polícia Federal?

Na Porção SHOFTIM (Juízes), no Livro Devarim (Deuteronômio) 16:18*, a Torá revela:

"Juízes (Sistema Judiciário) e Policiais (Sistema Policial e Carcerário) designarás para ti em todas as tuas cidades que o Eterno teu D-us te dá" - a vida social é dádiva Divina e é preciso preservá-la.

"E julgarão o povo com reto juízo" - É o que o Juiz Sergio Moro está tentando fazer de forma fiel.

"Não torcerás o juízo, não farás distinção de pessoas e não tomarás SUBORNO, porque o suborno cega os olhos dos sábios e subverte as palavras justas" - Para isso precisamos de Juízes honestos!

"A justiça, somente a justiça seguirás, para que vivas e herdes a terra que o Eterno teu D-us te dá" - Sem justiça não há vida, sem justiça não teremos nem o que herdar para os nossos filhos.

A palavra Torá significa instrução, orientação. Antes da entrada dos judeus em Israel, 3288 anos atrás, o povo de Israel fora orientado, ainda no deserto, a criar um sistema judiciário impecável.


Na vida judaica o Executivo era encabeçado por um Rei (hoje Israel tem um Primeiro Ministro) e o Legislativo era composto pelo Sinédrio ou San'hedrin (no Israel de hoje é o Knesset). Contudo, ainda almejamos a vida do Mashiach (Messias) para melhorar até o fim este sistema de governo.

No Brasil de hoje, a única força institucional praticamente impecável é o Sistema Judiciário e a Polícia Federal, para fazer cumprir o que os juízes decretam, exatamente como manda a Torá.

Agora só nos resta pedir a D-us, que, além dos nossos juízes terem sucesso na sua luta contra este governo hediondo, que após esta luta sejamos merecedores de um Executivo e um Legislativo competentes. Assim a população brasileira poderá constatar a diferença entre antes e depois.

Seja em qual for o país, quanto mais impecáveis forem estes poderes, maior será a justiça da Terra, do modo como o Eterno a planejou!

Leitura da porção da Torá que corresponde a este artigo:



* A Lei de Moisés, Editora Sêfer,página 555


Hashem (D-us) se intromete na Política?

O FATOR H ou FATOR D
[HASHEM / D-US]
Nós judeus acreditamos que D-us domina a tudo e a todos e que nada acontece sem o Seu consentimento.
Ele não é um mero espectador e não há separação entre sagrado e profano; cada qual tem o seu lugar na realidade.
O Talmud diz que governantes estão sob o dominio direto Dele.
De onde sabemos isto? Da unção dos reis por meio de profetas.
Os profetas recebiam diretamente do Criador a missão de apontar quem seriam os melhores gestores da Nação de Israel. A unção com azeite puro era o documento que validava esta escolha.
Na mesma medida, D-us causou a queda de inúmeros governantes quando estes não atendiam aos Seus anseios e/ou da população, como no caso clássico do Rei Saul, que o desobedeceu.

Se um crápula como o Lula está nos governando talvez seja porque nós brasileiros precisamos melhorar o nosso caráter para não nos parecermos com ele ou, no mínimo, aprender com isso. 
Quanto mais soubermos o que queremos e o que não queremos, mais ajuda dos Céus iremos obter.
Mas temos que pedir esta ajuda a Hashem. 
De que forma?  Rezando mesmo.
"Cada um com as suas palavras e no idioma que conhece melhor" - Maimônides




Os Dez Mandamentos e o PT



Tropicasher se prepara para apoiar as manifestações do povo brasileiro em busca de um governo justo, o que chamamos comumente de Ticún Olam [Reparo do Mundo].

Como tudo pode ser analisado à Luz da Torá, aqui vai o que achamos que Moisés diria sobre o PT:

1. Eu sou o teu D-us que te tirou do Egito, da  casa da Servidão.
Quem é o Faraó? Lula e Dilma. 
Quem é o Egito escravagista? São os mecanismos corruptos do PT. 
Quem são os escravos? É o povo brasileiro e suas instituições. 
Da casa da servidão? Que casa, as que são levadas pelas correntezas durante os desastres?
Nós brasileiros só seremos redimidos quando deixarem o poder aqueles que se acham D-us, que estão acima Dele, que Ele não existe, ou que Ele não está vendo. Mas ainda seremos redimidos, isso sim!

2. Não terás outros deuses de pedra, madeira ou mascaras. [pixuleco pode]. 
 Quem idolatra e defende o PT, está idolatrando um bezerro com o ouro roubado do povo brasileiro, 
 para uso dos faraós do partido, do qual nem mesmo povo que o doou irá usufruir.

3. Não pronunciarás o Nome de D-us em vão.
Quantas vezes Lula já jurou por D-us que não sabe ou que não viu coisa alguma? 

4. Santificarás o dia do Sábado. 
Como, se a pessoa rala seis dias da semana e não sobra dinheiro para ir a lugar algum com a familia no fim de semana? Tem gente que ainda trabalha Sábado e Domingo para poder com muito custo arredondar as despesas de casa. Mas os faraós do PT, estes sim, já começam o fim de semana na segunda feira, o que alias vale para outros políticos também mas não vamos perder o foco. 

5 Honrarás o teu pai e a tua mãe.
Aqui dá problema. Cada petista acha que Lula é o pai da nação e que Dilma é a mãe.
Neste caso talvez estejamos livres de praticar o mandamento mas o assunto é bem mais sério:
A miséria provocada pela roubalheira é tão grande, que muitas crianças acabam sendo jogadas para fora das escolas e caem vítimas fáceis nas armadilhas dos traficantes. Passam a desrespeitar os pais que os avisam do perigo que correm, principalmente quando se tornam dependentes de drogas.

6.  Não matarás
Precisa dizer alguma coisa? E não é somente Celso Daniel e vai saber que queimas de arquivo o PT deve ter promovido por todos estes anos. Estamos falando de algo ainda mais trágico: Quantas pessoas já morreram nas filas do SUS por falta de atendimento, de especialistas, de remédios, de recursos, de leitos hospitalares e de um mínimo de aparelhagem especifica? Eu mesmo fui certo dia ao SUS buscar um remédio caro e fiquei horrorizado com a total falta de atendimento ao cidadão, a burrice reinante e a falta do meu remedio sem previsão de data para chegar. Por sorte e benção Divina eu pude pagar o que remédio custava numa farmácia, parcelado no cartão. Mas e as dezenas, centenas, quem sabe milhares de pessoas que não podiam pagar, como fica?

7. Não cometerás adultério
Além de faze-lo de forma particular com a esposa... Lula cometeu o pior tipo de adultério: casou-se com o Brasil mas deitou-se com o PT, com Cuba, com a Bolivia, com a Venezuela, com ditadores de países árabes e africanos. Isto já é adultério acompanhado de orgia! Adulterou nossa Constituição fazendo da Lei o que bem lhe aprouvesse. adulterou nosso sistema politico e econômico promovendo mensalões e outros crimes federais afins. Adulterou o próprio judiciário, nomeando juízes "costas quentes" que o livrassem da culpa certa. 
Sabem qual a pena para a adultério?

8. Não roubarás!
Este item deveria ser deixado em branco pela obviedade do assunto.
Mas desejo abordar alguns enfoques que o farão mais enfático ainda:
Não roubarás na linguagem dos rabinos refere-se a Almas Humanas!
Ou seja, sequestrar a pessoa com tudo o que ela tem. É a vida do próximo tornada um cativeiro. 
É o cativeiro vivido pelo povo brasileiro, pelas classes menos favorecidas; é consequência direta de um sequestro da força de trabalho e do fruto desta força de trabalho de toda uma nação.
Também é proibido roubar o tempo e a mente das pessoas enganando-as com mentiras.
Por último, o Judaísmo proíbe roubar o sono de uma pessoa. 
Alguém tem conseguido dormir tranquilo ultimamente?

9. Não cometerás falso testemunho
Nunca antes neste país alguém mentiu tanto ao Judiciário, aos jornalistas, à Nação e até para os seus, como o cidadão Luis Ignacio Lula da Silva. Adicione PERJÚRIO aos crimes supracitados.

10.  Não cobiçarás a mulher do próximo, nem o seu carro, nem a sua casa, 
nem o país alheio,  nem o dinheiro dos impostos, nem o Congresso, nem o Senado, nem os Governos Estaduais, nem as Prefeituras, nem a Petrobrás, nem o governo, nem o triplex no Guarujá, nem o seu jatinho, nem o seus vinhos caros a dois mil reais a garrafa, nem os seus charutos cubanos, nem  jantares a milhares de dólares e nem a fortuna do próximo para dar aos seus filhos, pois eles podem ficar viciados em mentir para obter poder. Vide Mandamento numero 5.

A manifestação de 13 de Março de 2016 coincide com os preparativos da Festa de Purim - a leitura do Livro de Esther - quando um malvado, Haman, desejou aniquilar todos os judeus, mas tudo acabou virando contra ele. 

Há quase dois mil anos povo judeu faz o seu próprio  panelaço a cada vez que o nome  de"Haman", o perverso é pronunciado nas Sinagogas, durante a leitura do Livro de Esther

O panelaço brasileiro também já foi feito.

Agora só falta a queda de Haman Lula da Silva.  
  

Papo em Comunidade com Paulinho Rosenbaum

com PATRICIA INGO TENDRICH

Shalom!
Que tal juntar judaísmo com humor?
Paulinho Rosenbaum é com você!



PIT - Olá Paulinho, bem vindo ao Papo em Comunidade!
PR - Muito obrigado pelo convite Patrícia e parabéns pela bonita iniciativa.

PIT - Para começar quem é Paulinho Rosenbaum?
PR - Um amante da cultura brasileira, do humor clean, de Israel e das coisas judaicas.

PIT - O que é tropicasher?
PR - Tropicasher é Torá com Sabor Tropical, um judaísmo com jeitinho e humor bem brasileiros, sem perder a tradição e a seriedade de propósito. Nossos veículos são a música, brasileira em especial, a parashá da semana e contos com sabor tropical e agora os videoclips.


PIT - Como surgiu a ideia do Tropicasher?
PR - Quando eu traduzia o Shabat Shalom Fax do Aish Hatorah em Toronto, recebia muitas reações negativas, xingamentos e pedidos para não enviar mais aquelas mensagens, parar com essa lavagem cerebral, coisas do estilo. Fiquei um pouco chateado, pois como sociólogo formado em Haifa, oficial docente das forças armadas de Israel e judeu observante, mas liberal, achei que poderia servir algo melhor ao leitor pouco acostumado ao pensamento analítico judaico, em especial com questões relativas à nossa fé, i.e. Torá. Liguei de Toronto a um importante rabino em Israel e ele me aconselhou a fazer algo com a minha formação cultural como judeu brasileiro. Nasceu o Tropicasher.

PIT - Qual o objetivo do Tropicasher?
PR - Primeiramente informar o máximo possível acerca das tradições e fontes judaicas, de todos os tipos, épocas e tendências. Além disso, divertir, relaxar, desmistificar preconceitos relativos à nossa fé, fazer amigos e fomentar laços entre pessoas de diversos modus vivendi.


PIT - O que os judeus brasileiros têm que os outros judeus não têm?
PR - Talvez um pouco mais de ginga, humor, capacidade de gostar do diferente, do inédito, do diferenciado, sem entrar em polêmicas nem conflitos. Foi isso que ao que tudo indica maravilhou o Jô Soares quando fui ao programa dele, a começar pela minha Kipá em forma de bola de futebol e o Funk do Faraó, um curto relato da Hagadá de Pessach sobre a periferia sofrida do Egito Antigo (os judeus).


PIT - Você faz shows. Como são estes shows? São didáticos?
PR - Nossos shows são feitos sob a forma de um vôo musical da Tropicasher Airlines, que leva o "passageiro" confortavelmente sentado em sua poltrona no teatro, a lugares nunca dantes visitados, contando sobre estes lugares com música, ritmo e humor. Os shows são didáticos, a pessoa sai com muita informação relevante do Teatro, conhece aspectos diferentes daquilo que não imaginava poder ser apresentado de forma musical e bem humorada e vai para casa feliz, por haver empregado o tempo numa atividade ao mesmo tempo útil e prazerosa. Nossos shows desfrutam hoje do apoio da Lei Rouanet e temos como principal patrocinador o Banco Daycoval, que apostou no nosso sucesso e viu o Teatro Folha lotar para assistir a estréia. Ainda temos espaço para mais patrocinadores, principalmente aqueles que quiserem levar nosso show para outros Estados e países. Portugal e Israel já estão à espera.


PIT - Existe alguma passagem da Torá que você ache engraçada ou que você a tenha tornado engraçada?
PR- Uma só? Todas as passagens da Torá têm algo engraçado. Por exemplo: na porção BESHALÁCH (Shemót, segundo livro da Torá),após a travessia do Mar Vermelho, Miriam, a irmã de Moisés, sai tocando pandeiro e cantando com todas as mulheres de Israel em agradecimento. Estava criada a Primeira Escola de Simchá de História, com batuque, enredo e tudo o mais. Nota dez em todos os quesitos! O nome Pelé também foi encontrado na Torá e tem a ver com a festa de Chanucá, mas isso já é outro Tropicasher... (veja artigo "A Pele Judaica do Pelé"). Além disso, criamos um "Passaporte de Pêssach" que resume o ideal desta festa de um modo bem moderno e tem feito o maior sucesso!


PIT - O que mais e menos te encanta no judaísmo?
PR - As duas coisas numa só: a extensa diversidade de modos de conduta, interpretações, riqueza de costumes, níveis diferentes de observância, enfoque neste ou naquele assunto, isto é o que celebra o judaísmo como uma cultura completa. Ao mesmo tempo, as briguinhas e picuinhas entre alguns dos nossos segmentos deixam bastante a desejar no quesito harmonia e convivência com o próximo. Tropicasher tenta driblar tudo isso não enfocando um só assunto, nem uma só corrente, nem desprezando os demais. Shalom e Humor.


PIT - Como você explica o judaísmo de forma simples para um não judeu? Tem como?
PR - Meu amigo José Singer que hoje mora em Israel expressou isto da melhor forma na minha opinião: O JUDAÍSMO É UMA CIVILIZAÇÃO ORIENTADA PELA TORÁ. O resto é comentário e fotos. No sitehttp://www.tropicasher.com.br/ temos os dois, Baruch Hashem!

PIT - Qual o seu maior desejo?
PR - Ver o Tropicasher chegar a cada vez mais pessoas, judeus ou não e formar laços onde antes só havia embaraços.

PIT - Paulinho, muito obrigada por sua entrevista e deixe aqui o seu recado!
PR - Obrigado a você Patricia, por tão bem formulada entrevista, ainda bem que não perguntou porque não me casei até hoje nem pediu doação.
Meu recado é o seguinte: "Se o sucesso não bate à sua porta, crie você a porta" (na verdade quem falou isso foi o humorista judeu americano Milton Berle e tomei essa máxima como meu modo operandus). Outro recado que acho importante é algo que aprendi durante todos estes anos, nos quatro países em que vivi (Israel, Brasil, USA e Canadá), após conhecer gente tão diversificada quanto possível: O fato do outro pensar e agir diferente de você não faz dele o seu inimigo. Ah sim, antes que eu esqueça: Os CDs Tropicasher, assim com o Sidur Falado e o Livro de Auto-ajudaica PÉROLAS DE YEHOSHIAHU, estão à venda na Livraria Sêfer, Livraria Cultura e Beit Hassofer. Aceitamos encomendas pelo atacado (mais de dez unidades) pelo e-mail pr@tropicasher.com.br
Tropicasher é coisa séria mesmo fazendo brincadeira. 
É bom ter você como amigo/a!
http://www.tropicasher.com.br/

Facilitadora: PATRICIA INGO TENDRICH
 
Copyright © 2011. O que é Judaísmo? - All Rights Reserved
Templates: Mais Template
{ overflow-x: hidden; }